Dificuldade de dormir

Definição

A dificuldade de dormir pode envolver dificuldade em pegar no sono ao ir para a cama à noite, acordar muito cedo pela manhã, ou acordar durante a noite. Pode também envolver combinações destes padrões.

Veja também: Insônia

Nomes Alternativos

Incapacidade de dormir; Dissonia; Falta de sono; Insônia

Considerações

Todos passam por noites de insônia, e isso não é um problema para a maioria das pessoas. Entretanto, cerca de 25% dos norteamericanos relatam ter problemas de sono ocasionais. Os problemas de sono crônicos afetam cerca de 10% das pessoas.

A falta de sono tranquilo pode afetar a capacidade de condução de responsabilidades diárias por estar muito cansado ou ter problemas de concentração. Todos os tipos de insônia podem levar a sonolência durante o dia, má concentração e incapacidade de sentir-se revigorado e descansado pela manhã.

A maioria dos adultos funciona melhor com 8 horas de sono por noite até os 60 anos de idade, após isso cerca de 6 horas poderá ser suficiente. Embora os idosos precisem de menos sono, quase metade das pessoas com mais de 60 anos sofrem de algum grau de insônia.

A melhor forma de se medir a quantidade de sono necessário é saber como se sente. Se ao acordar se sente revigorado, a noite de sono foi suficiente. Para algumas pessoas, isso ocorre com apenas 4 horas. Outros podem precisar de até 10 horas para sentirem descansados.

A utilização de medicamentos para tratar a insônia pode ser útil em determinadas situações, mas há alguns riscos possíveis. Os anti-histamínicos (principal ingrediente em pílulas de dormir sem receita médica) pode levar a dependência, tolerância e ao longo do tempo poderá afetar a memória. O medicamento sedativo deve ser utilizado sob acompanhamento próximo de um médico, porque há a possibilidade de resultar em dependência e tolerância. A interrupção da utilização desses medicamentos pode provocar o retorno da insônia e abstinência.

É raro que uma doença de alto risco possa ser a causa de problemas com sono. Para muitas pessoas, hábitos de sono ruins são a causa. Entretanto, em função da insônia ser um sintoma-chave de depressão, é necessário realizar testes de depressão caso apresente problemas de sono.

A insônia pode causar:

Pode ser útil consultar um psiquiatra ou outro tipo de médico mental para avaliar os distúrbios psiquiátricos que podem levar à insônia. Se estiver com depressão, antidepressivos podem ajudar tanto no problema de sono como de depressão. Estes medicamentos não trazem as mesmas preocupações em relação à tolerância e dependência como os sedativos.

Aconselhamento pode ser útil com pesadelos e sonhos que interferem com o sono.

Causas Comuns

A insônia em adultos pode ser resultado de:

EM BEBÊS

A maioria dos recém-nascidos acordam várias vezes durante a noite, mas até os 6 meses dormem, em geral, a noite toda. Com 1 ano de idade, os bebês dormem uma média de 16 horas por dia. Duas a três horas desse sono ocorrerão durante o dia.

A insônia em bebês pode ocorrer em função de:

Cuidados Domésticos

Tente mudar os hábitos e outros comportamentos de sono noturno antes de consumir medicamentos para insônia. Por exemplo:

EM BEBÊS E CRIANÇAS

Consulte seu médico se

Procure um médico se:

O que esperar no consultório do seu médico

Seu médico realizará um exame físico. Para ajudar a entender melhor seus problemas de sono, o médico poderá fazer as seguintes perguntas:

Em alguns casos, o médico pode realizar as seguintes recomendações:

Em alguns casos raros, seu médico poderá querer que se consulte com um especialista em sono que realizará um estudo de seu sono (polissonorama)

MEDICAMENTOS

Algumas pessoas poderão precisar de medicamentos por um tempo para auxiliar no sono. O médico pode sugerir o uso de medicamentos prescritos se achar que será útil

Alguns antidepressivos, como o Trazadone, podem ser utilizados na hora de dormir por ter o efeito de deixar as pessoas sonolentas. Se a insônia for provocada por depressão, o tratamento da depressão com a utilização dos medicamentos ou tratamentos corretos deve resolver o problema.

Sedativos à base de benzodiazepina, como o clonazepam (Klonopin) ou lorazepam (Ativan) são medicamentos contra ansiedade que também podem ajudar no sono. Devem ser utilizados com cuidado porque podem provocar dependência.

Os medicamentos de sono mais novos, chamados de hipnóticos, ajudam a reduzir o tempo para cair no sono. Possuem menos probabilidade de dependência do que as benzodiazepinas. Dois exemplos são os medicamentos prescritos zolpidem (Ambien) e zaleplon (Sonata).

AVISO: O FDA pediu aos fabricantes de medicamentos de sono hipnóticos-sedativos a colocar mensagens de aviso mais fortes em seus produtos para que os consumidores saibam mais dos riscos potenciais. Entre os riscos possíveis ao tomar tais medicamentos estão reações alérgicas graves e comportamentos perigosos relacionados ao sono, incluindo dormir ao volante.

Referências

Mahowald MW. Disorders of sleep. Em: Goldman L, Ausiello D, eds. Cecil Medicine. 23ª ed. Philadelphia, Pa: Saunders Elsevier; 2007: cap. 429.


Reveja Data: 3/31/2010
Avaliado por: David C. Dugdale, III, MD, Professor of Medicine, Division of General Medicine, Department of Medicine, University of Washington School of Medicine; Michelle Benger Merrill, MD, Instructor in Clinical Psychiatry, Department of Psychiatry, Columbia University Medical Center, New York, NY. Also reviewed by David Zieve, MD, MHA, Medical Director, A.D.A.M., Inc.
As informações aqui fornecidas não poderão ser usadas durante nenhuma emergência médica, nem para o diagnóstico ou tratamento de doenças. Um médico licenciado deverá ser consultado para o diagnóstico ou tratamento de todas as doenças. Ligue para 192 em caso de emergências médicas. Os links para outros sites são fornecidos apenas a título de informação e não constituem um endosso a eles. 1997- A.D.A.M., Inc. A reprodução ou distribuição das informações aqui contidas é estritamente proibida.
adam.com