Intoxicação alimentar

Definição

A intoxicação alimentar ocorre ao ingerir alimentos ou água contaminados com certos tipos de bactérias, parasitas, vírus ou toxinas.

A maioria dos casos de intoxicação alimentar é provocada por bactérias comuns como Staphylococcus ou Escherichia coli (E. coli).

Causas, incidência e fatores de risco

A intoxicação alimentar ocorre com mais frequência após o indivíduo comer em piqueniques, refeitórios, grandes eventos sociais ou restaurantes. Uma ou mais pessoas podem ficar doentes.

A intoxicação alimentar é causada por certas bactérias, vírus, parasitas ou toxinas. Entre os tipos de intoxicação alimentar estão:

As bactérias podem ficar na comida de diferentes maneiras:

A intoxicação alimentar geralmente ocorre por meio da ingestão de:

Crianças e idosos correm mais risco de serem acometidos por intoxicação alimentar. Você também corre um risco maior, se:

Gestantes e mulheres que estiverem amamentando devem ser especialmente cautelosas para evitar a intoxicação alimentar.

Sintomas

O desenvolvimento dos sintomas depende da causa exata da intoxicação alimentar. Os tipos mais comuns de intoxicação alimentar geralmente têm início de 2 a 6 horas após a ingestão do alimento.

Os possíveis sintomas incluem:

Sinais e testes

Você será examinado pelo médico em busca de sinais de intoxicação alimentar, como dor no estômago e sinais de que o corpo não tem a quantidade de água e líquidos da qual necessita. Isso é denominado desidratação.

Você também será questionado sobre o que comeu recentemente.

Podem ser feitos exames de sangue, fezes, vômito ou na comida ingerida para determinar a causa dos sintomas. Contudo, pode ser que eles não provem que você está com intoxicação alimentar.

Em casos raros, porém graves, o médico poderá solicitar uma sigmoidoscopia, procedimento no qual um tubo fino é colocado no ânus para verificar a origem do sangramento ou da infecção.

Tratamento

A recuperação na maioria dos tipos de intoxicação alimentar se dá em 2 dias. O objetivo é fazer você se sentir melhor e garantir que seu corpo mantenha a quantidade de líquidos adequada.

Caso você tenha diarreia e não consiga beber líquidos (por exemplo, devido à náusea e ao vômito), busque um atendimento médico para receber fluidos por meio venal (via intravenosa). Esse procedimento é especialmente importante para crianças pequenas.

Se você toma medicamentos diuréticos, é preciso tratar a diarreia com cautela. Fale com seu médico - talvez seja preciso interromper a medicação diurética, enquanto estiver com diarreia. Nunca interrompa ou altere seus medicamentos sem comunicar a um médico e obter instruções específicas.

Na maioria dos casos de intoxicação alimentar, seu médico NÃO prescreverá antibióticos.

Você pode comprar remédios na farmácia que ajudam a diminuir a diarreia. Não tome esses remédios sem falar com um médico se você apresenta diarreia com sangue ou febre. Não dê esses medicamentos a crianças.

Caso você tenha ingerido toxinas de cogumelos ou frutos do mar, precisará de atendimento médico imediatamente. O médico do atendimento de emergência realizará procedimentos para esvaziar seu estômago e remover as toxinas.

Expectativas (prognóstico)

A maioria das pessoas se recupera dos tipos mais comuns de intoxicação alimentar dentro de 12 a 48 horas. No entanto, é possível haver complicações sérias, em alguns tipos de intoxicação alimentar.

A morte por intoxicação alimentar de pessoas saudáveis é rara no país.

Complicações

A desidratação é a complicação mais comum. Ela pode ocorrer em qualquer um dos casos de intoxicação alimentar.

As complicações menos comuns e mais sérias dependem da bactéria causadora da intoxicação alimentar. Elas podem incluir artrite, problemas de sangramento, problemas nos rins, danos ao sistema nervoso e inchaço ou irritação do tecido em torno do coração.

Ligando para o médico

Marque uma consulta com seu médico se você tiver:

Também procure seu médico se:

Vá para o pronto-socorro ou ligue para o número de emergência local (como o 192) se:

Prevenção

Consulte: Como evitar a intoxicação alimentar

Referências

Sodha SV, Griffin PM, Hughes JM. Foodborne disease. In: Mandell GL, Bennett JE, Dolin R, eds. Principles and Practice of Infectious Diseases. 7th ed. Philadelphia, Pa: Elsevier Churchill Livingstone; 2009:chap 99.

Craig SA, Zich DK. Gastroenteritis. In: Marx JA, ed. Rosen's Emergency Medicine: Concepts and Clinical Practice. 7th ed. Philadelphia, Pa: Mosby Elsevier;2009:cap. 92.


Reveja Data: 2/11/2014
Avaliado por: Eric Perez, MD, St. Luke's / Roosevelt Hospital Center, NY, NY, and Pegasus Emergency Group (Meadowlands and Hunterdon Medical Centers), NJ. Review provided by VeriMed Healthcare Network. Also reviewed by David Zieve, MD, MHA, Isla Ogilvie, PhD, and the A.D.A.M. Editorial team.
As informações aqui fornecidas não poderão ser usadas durante nenhuma emergência médica, nem para o diagnóstico ou tratamento de doenças. Um médico licenciado deverá ser consultado para o diagnóstico ou tratamento de todas as doenças. Ligue para 192 em caso de emergências médicas. Os links para outros sites são fornecidos apenas a título de informação e não constituem um endosso a eles. 1997- A.D.A.M., Inc. A reprodução ou distribuição das informações aqui contidas é estritamente proibida.
adam.com