Cáries

Definição

Cáries são orifícios, ou lesões estruturais, nos dentes.

Consulte também: Cárie na primeira infância

Nomes alternativos

Dentes podres; dente cariado; cáries - dente

Causas, incidência e fatores de risco

A cárie é um dos distúrbios mais comuns, depois apenas do resfriado comum. Normalmente, ocorre em crianças e jovens, mas pode afetar qualquer pessoa. É uma causa comum de perda de dentes em pessoas jovens.

As bactérias estão presentes normalmente na boca. Elas transformam todos os alimentos, especialmente açúcar e amido, em ácidos. As bactérias, os ácidos, os resíduos de comida e a saliva se juntam na boca e formam uma substância pegajosa chamada placa, que adere ao dente. Ela é mais proeminente nos molares traseiros, logo acima da linha da gengiva em todos os dentes, e nas bordas das obturações. A placa que não é removida dos dentes se mineraliza formando tártaro. A placa e o tártaro irritam as gengivas, resultando em gengivite e, por fim, periodontite.

A placa começa a se acumular nos dentes dentro de 20 minutos após comer (o período em que a maior parte da atividade bacteriana acontece). Se a placa não for removida de forma cuidadosa e rotineira, as cáries não só aparecem, como se proliferam.

Os ácidos da placa dissolvem a superfície esmaltada e criam orifícios nos dentes (cáries). As cáries normalmente não provocam dor, a não ser que cresçam muito e afetem os nervos ou causem uma fratura no dente. Se não forem tratadas, um abscesso dentário poderá se desenvolver. As cáries não tratadas também destroem as estruturas internas do dente (polpa) e terminam causando sua perda.

Carboidratos (açúcares e amido) aumentam o risco de cárie. Alimentos pegajosos são mais prejudiciais do que os não pegajosos porque permanecem na superfície dos dentes. Fazer lanches constantes aumenta o período de contato entre os ácidos e a superfície do dente.

Sintomas

Pode não haver sintomas. Se houver, eles poderão incluir:

Sinais e exames

A maioria das cáries é descoberta nos estágios iniciais durante os exames de rotina. A superfície do dente pode estar macia quando analisada com um instrumento afiado. Pode não haver dor até que a cárie chegue a estágios avançados. Raios X dos dentes podem mostrar algumas cáries antes que elas sejam visíveis aos olhos.

Tratamento

O tratamento pode ajudar a evitar que a lesão no dente se transforme em cárie.

O tratamento inclui:

Os dentistas preenchem o dente, removendo o material deteriorado com uma broca e substituindo-o por materiais como liga de prata, ouro, porcelana ou resina composta. A porcelana e a resina composta se aproximam mais da aparência natural do dente e podem ser a melhor alternativa para os dentes frontais. Muitos dentistas consideram que a amálgama de prata (liga) e o ouro são mais fortes e, normalmente, são usados esses materiais para os dentes traseiros. Também há uma tendência de utilização de resina composta de alta resistência nos dentes traseiros.

As coroas e "coberturas" serão usadas se o dente estiver muito deteriorado e não sobrar muita estrutura, o que pode enfraquecê-lo. Obturações grandes e dentes fracos aumentam o risco de quebrar os dentes. A área danificada ou enfraquecida é removida e consertada. Coloca-se uma coroa sobre a parte remanescente do dente. As coroas normalmente são feitas de ouro, porcelana ou porcelana ligada a uma estrutura metálica.

O tratamento de canal será recomendado se o nervo de um dente morrer devido a uma cárie ou lesão. O centro do dente, incluindo o nervo e o tecido dos vasos sanguíneos (polpa), é removido junto com as partes deterioradas do dente. As raízes são preenchidas com um material de vedação. O dente é preenchido e, se necessário, coloca-se uma coroa sobre ele.

Expectativas (prognóstico)

O tratamento geralmente salva o dente. O tratamento precoce é menos doloroso e mais barato do que o tratamento de uma cárie avançada.

Você pode precisar de medicamentos anestésicos (lidocaína), óxido nitroso (gás do riso) ou outros medicamentos receitados para aliviar a dor durante e depois do tratamento odontológico.

O óxido nitroso com novocaína pode ser a melhor alternativa se você tem medo de tratamentos dentários.

Complicações

Ligando para o médico

Ligue para o dentista se tiver dor de dente.

Marque uma consulta com o dentista para limpeza e exame de rotina se você não fez isso nos últimos 6 meses ou no último ano.

Prevenção

A higiene oral é necessária para evitar cáries. Ela consiste em limpeza profissional regular (a cada 6 meses), escovar os dentes pelo menos duas vezes por dia e utilizar fio dental diariamente. Podem ser feitos raios X anuais para detectar o possível desenvolvimento de cáries em áreas de alto risco na boca.

É preferível comer alimentos mastigáveis e pegajosos (como frutas secas e doces) como parte de uma refeição e não como um lanche. Se possível, escove os dentes ou enxágue a boca com água após comer esse tipo de alimento. Diminua a frequência dos lanches, que criam um suprimento contínuo de ácido na boca. Evite tomar bebidas açucaradas e comer balas e doces frequentemente.

Os selantes dentais podem evitar algumas cáries. Selantes são películas finas de plástico aplicados às superfícies de mastigação dos molares. Essa película impede o acúmulo de placa nas cavidades profundas dessas superfícies vulneráveis. Os selantes normalmente são aplicados nos dentes das crianças logo após o surgimento dos molares. As pessoas mais velhas também podem se beneficiar do uso de selantes.

Normalmente, recomenda-se usar flúor para proteção contra cáries dentárias. Foi comprovado que pessoas que ingerem flúor na água ou através de suplementos apresentam menos cáries. Se o flúor é ingerido quando os dentes estão se desenvolvendo, ele é incorporado à estrutura do esmalte e o protege contra a ação dos ácidos.

O flúor tópico também é recomendado para proteger a superfície do dente. Isso pode incluir creme dental ou enxágue bucal com flúor. Muitos dentistas incluem a aplicação de soluções tópicas de flúor (aplicadas em uma área localizada do dente) como parte das consultas de rotina.

Referências

Chow AW. Infections of the oral cavity, neck, and head. In: Mandell GL, Bennett JE, Dolin R, eds. Principles and Practice of Infectious Diseases. 7th ed. Philadelphia, Pa: Elsevier Churchill Livingstone; 2009:chap 60.

Bader JD, Rozier G, Harris R, et al. Dental caries prevention: The physician's role in child oral health systematic evidence review [internet]. Rockville, Md. Agency for Healthcare Research and Quality (US); 2004 Apr.

Chou R, Cantor A, Zakher B, et al. Preventing dental caries in children 5 years: systematic review updating USPSTF recommendation. Pediatrics. 2013:132(2); 332-50.


Reveja Data: 2/25/2014
Avaliado por: Ilona Fotek, DMD, MS, Palm Beach Prosthodontics Dental Associates, West Palm Beach, FL. Review provided by VeriMed Healthcare Network. Also reviewed by David Zieve, MD, MHA, Isla Ogilvie, PhD, and the A.D.A.M. Editorial team.
As informações aqui fornecidas não poderão ser usadas durante nenhuma emergência médica, nem para o diagnóstico ou tratamento de doenças. Um médico licenciado deverá ser consultado para o diagnóstico ou tratamento de todas as doenças. Ligue para 192 em caso de emergências médicas. Os links para outros sites são fornecidos apenas a título de informação e não constituem um endosso a eles. 1997- A.D.A.M., Inc. A reprodução ou distribuição das informações aqui contidas é estritamente proibida.
adam.com