Verrugas genitais

Definição

As verrugas genitais são formações moles e semelhantes a verrugas comuns que ocorrem nos genitais de homens e mulheres. Elas são um tipo de infecção sexualmente transmissível (IST).

Nomes alternativos

Condiloma acuminata; verrugas penianas; vírus do papiloma humano (HPV); verrugas venéreas; condiloma; teste de DNA-HPV; doença sexualmente transmissível (DST)

Causas, incidência e fatores de risco

O vírus que causa as verrugas genitais é chamado de vírus do papiloma humano (HPV). Existem mais de 70 tipos diferentes de HPV.

A infecção por HPV nos genitais é comum, embora muitas pessoas não apresentem sintomas. Mesmo que você NÃO tenha sintomas, ainda assim deve receber tratamento para evitar complicações e a contaminação de outras pessoas.

Nas mulheres, o HPV pode invadir as paredes vaginais e o colo do útero. Essas verrugas são achatadas e são difíceis de enxergar sem a realização de procedimentos especiais.

Determinados tipos de HPV podem causar alterações pré-cancerosas no colo do útero, como câncer de colo do útero ou câncer anal. Esses são conhecidos como tipos de HPV de alto risco.

A seguir, fatos importantes sobre como o HPV e as verrugas genitais são transmitidos:

Os fatores a seguir aumentam seu risco de contrair verrugas genitais, de que as verrugas se espalhem mais rapidamente e de que retornem ou de que você apresente outras complicações de HPV:

Se uma criança apresentar verrugas genitais, deve-se suspeitar de abuso sexual como uma das causas possíveis.

Sintomas

As verrugas genitais podem ser elevadas ou achatadas e geralmente têm cor de pele. Elas podem ter aspecto de couve-flor. Algumas vezes, as verrugas são tão pequenas e achatadas que não podem ser vistas a olho nu.

Lugares comuns para se encontrar verrugas genitais:

Outros sintomas são raros, mas podem incluir:

Sinais e testes

Lesões brancas ou da cor da pele, achatadas ou elevadas, únicas ou agrupadas podem ser vistas em qualquer lugar dos órgãos genitais.

Nas mulheres, o exame pélvico pode revelar formações nas paredes vaginais ou no colo do útero. Uma ampliação de imagem (colposcopia) pode ser usada para enxergar as lesões invisíveis a olho nu. O tecido da vagina e do colo do útero pode ser tratado com ácido acético (vinagre diluído) para tornar as verrugas visíveis.

Um exame de Papanicolau pode identificar alterações causadas pelo HPV. As mulheres com esses tipos de alterações geralmente precisam realizar exames de Papanicolau com mais frequência por um período.

Um teste de DNA-HPV pode identificar se você tem um tipo de HPV de alto risco conhecido por causar o câncer de colo do útero. O seguinte teste pode ser feito:

Tratamento

As verrugas genitais devem ser tratadas por um médico. NÃO use medicamentos para outros tipos de verrugas que sejam vendidos sem receita médica.

O médico pode tratar as verrugas genitais com um tratamento de pele no consultório. Ou, ele pode receitar um medicamento que deve ser aplicado em casa diversas vezes por semana. Esses tratamentos incluem:

Os tratamentos cirúrgicos incluem:

Se você desenvolver verrugas genitais, todos os seus parceiros sexuais deverão ser examinados por um médico e tratados se também tiverem verrugas genitais.

Após o primeiro tratamento, o médico agendará exames de acompanhamento para verificar se as verrugas retornaram.

Mulheres que já tiveram verrugas genitais e mulheres com parceiros que já tiveram verrugas genitais devem fazer exames de Papanicolau ao menos uma vez por ano. No caso de verrugas no colo do útero, as mulheres podem precisar fazer exames de Papanicolau a cada três a seis meses após o tratamento inicial.

Mulheres com alterações pré-cancerosas causadas por uma infecção por HPV talvez precisem de tratamentos adicionais.

Jovens e meninas entre 9 e 26 anos devem ser vacinadas contra o HPV.

Expectativas (prognóstico)

A maioria das mulheres jovens sexualmente ativas é infectada pelo HPV. Em muitos casos, o HPV desaparece sozinho.

A maioria dos homens infectados pelo HPV nunca desenvolve sintomas ou problemas decorrentes da infecção. Entretanto, eles podem transmitir a infecção para as parceiras sexuais atuais e, algumas vezes, para as futuras parceiras.

Mesmo após o tratamento das verrugas genitais, ainda é possível infectar outras pessoas.

Determinados tipos de verrugas genitais aumentam nas mulheres o risco de câncer de colo do útero e de vulva.

Complicações

Alguns tipos de HPV causam câncer de colo do útero e de vulva. Eles são a principal causa de câncer de colo do útero.

Os tipos de HPV que causam as verrugas genitais não são os mesmos que causam câncer anal ou peniano.

As verrugas podem ficar grandes e numerosas, exigindo tratamentos e procedimentos de acompanhamento mais prolongados.

Ligando para o médico

Ligue para o médico se:

As mulheres devem começar a fazer exames de Papanicolau aos 21 anos.

Prevenção

A abstinência total é o único método infalível de evitar verrugas genitais e outras infecções transmitidas sexualmente (DSTs). Também é possível evitar esse tipo de infecção mantendo um relacionamento sexual com um parceiro único que você sabe não ter doenças.

Os preservativos masculinos ou femininos não oferecem proteção total porque o vírus ou as verrugas podem estar na pele. Mesmo assim, as camisinhas reduzem o risco e ainda devem ser usadas. O HPV pode ser transmitido mesmo quando não existem verrugas visíveis ou outros sintomas. Consulte: Sexo seguro

Pare de fumar.

Duas vacinas que previnem a infecção de quatro cepas de HPV responsáveis pela maioria dos casos de câncer de colo do útero nas mulheres estão disponíveis no mercado. A vacina é administrada como uma série de três injeções. Ela é recomendada para meninas e mulheres entre 9 e 26 anos.

Consulte: Vacina contra o HPV para obter mais detalhes.

Referências

Diaz ML. Human papilloma virus: prevention and treatment.Obstet Gynecol Clin North Am. 2008;35(2):199-217.

Mayrand MH, Duarte-Franco E, Rodrigues I, Walter SD, Hanley J, Ferenczy A, et al. Human papillomavirus DNA versus Papanicolaou screening tests for cervical cancer. N Engl J Med. 2007;357:1579-1588.

Kahn JA. HPV vaccination for the prevention of cervical intraepithelial neoplasia. N Engl J Med. 2009;361:271-278.

HPV and Men - CDC Fact Sheet. 3 de abril de 2008. Acessado em 20 de dezembro de 2009.


Reveja Data: 11/10/2013
Avaliado por: Susan Storck, MD, FACOG, Chief, Eastside Department of Obstetrics and Gynecology, Group Health Cooperative of Puget Sound, Bellevue, Washington; Clinical Teaching Faculty, Department of Obstetrics and Gynecology, University of Washington School of Medicine. Also reviewed by David Zieve, MD, MHA, Bethanne Black, and the A.D.A.M. Editorial team.
As informações aqui fornecidas não poderão ser usadas durante nenhuma emergência médica, nem para o diagnóstico ou tratamento de doenças. Um médico licenciado deverá ser consultado para o diagnóstico ou tratamento de todas as doenças. Ligue para 192 em caso de emergências médicas. Os links para outros sites são fornecidos apenas a título de informação e não constituem um endosso a eles. 1997- A.D.A.M., Inc. A reprodução ou distribuição das informações aqui contidas é estritamente proibida.
adam.com