Mal de Alzheimer

Definição

A demência é a perda da função cerebral que ocorre com determinadas doenças. O mal de Alzheimer (MA) é uma forma de demência que piora gradativamente com o tempo. Ela afeta a memória, o raciocínio e o comportamento.

A deterioração da memória, bem como problemas de linguagem, a capacidade de tomar decisões, fazer julgamentos e a personalidade são características necessárias para o diagnóstico.

Nomes alternativos

Demência senil - Alzheimer; doença de Alzheimer

Causas, incidência e fatores de risco

A idade e o histórico familiar são fatores de risco para o mal de Alzheimer.

Outros fatores de risco que não ainda não foram comprovados incluem:

Existem dois tipos de mal de Alzheimer - de início precoce ou início tardio.

A cauda do mal de Alzheimer não é completamente conhecida, mas considera-se que engloba fatores genéticos e ambientais. O diagnóstico do mal de Alzheimer é feito verificando a presença de certos sintomas e descartando outras causas de demência.

A única forma de saber com certeza se alguém tem o mal de Alzheimer é examinando uma mostra do tecido cerebral depois da morte. As seguintes alterações são mais comuns no tecido cerebral de pessoas com mal de Alzheimer:

Quando as células nervosas (neurônios) são destruídas, há uma diminuição das substâncias químicas que ajudam as células nervosas a enviar mensagens entre si (chamados de neurotransmissores). Como resultado, as áreas do cérebro que normalmente funcionam juntas ficam desconectadas.

O acúmulo de alumínio, chumbo, mercúrio e outras substâncias no cérebro já não é considerado uma causa do mal de Alzheimer.

Sintomas

Entre os sintomas da demência estão dificuldade em muitas áreas da função mental, como:

Geralmente, a demência começa com esquecimento.

O comprometimento cognitivo leve é o estágio entre o esquecimento normal devido ao envelhecimento e o desenvolvimento do mal de Alzheimer. As pessoas com MCI têm problemas leves com o raciocínio e a memória que não interferem nas atividades diárias. Muitas vezes, elas estão cientes do esquecimento. Nem todas as pessoas com MCI desenvolvem mal de Alzheimer.

Os sintomas da MCI incluem:

Os primeiros sintomas do mal de Alzheimer podem incluir:

À medida que o mal de Alzheimer avança, os sintomas se tornam mais óbvios e interferem com a capacidade da pessoa de cuidar de si mesma. Os sintomas podem incluir:

As pessoas com mal de Alzheimer severo não conseguem:

Outros sintomas que podem ocorrer com o mal de Alzheimer:

Sinais e testes

Muitas vezes, o mal de Alzheimer pode ser diagnosticado com base no histórico e exame físico por um médico ou enfermeiro habilidosos. O médico fará a anamnese, o exame físico (incluindo um exame neurológico) e realizará um exame do estado mental.

Podem ser solicitados exames para determinar se outros problemas médicos estão causando ou piorando a demência. Essas doenças incluem:

Uma tomografia computadorizada ou ressonância magnética do cérebro pode ser realizada para procurar outras causas de demência, como um tumor cerebral ou derrame.

Tratamento

Infelizmente, não existe cura para o mal de Alzheimer. Os objetivos no tratamento do mal de Alzheimer são:

TRATAMENTO COM DROGAS

A maioria das drogas usadas para tratar o mal de Alzheimer destinados a diminuir a velocidade com que os sintomas avançam. Geralmente, o benefício trazido por essas drogas é pequeno e os pacientes e suas famílias podem não perceber muita diferença.

Os pacientes e cuidadores devem fazer aos médicos as seguintes perguntas sobre o uso ou não dessas drogas e em que momento:

Existem dois tipos de medicamentos disponíveis:

Outros medicamentos podem ser necessários para controlar comportamentos agressivos, agitados ou perigosos. Eles geralmente são usados em doses muito baixas.

Pode ser necessário suspender todos os medicamentos que piorem a confusão. Esses medicamentos podem ser analgésicos, cimetidina, depressivos do sistema nervoso central, anti-histamínicos, calmantes e outros. Nunca mude ou suspenda nenhum medicamento sem consultar seu médico primeiro.

SUPLEMENTOS

Muitas pessoas tomam ácido fólico (vitamina B9), vitamina B12 e vitamina E. Porém, não há evidências contundentes de que tomar essas vitaminas previna o mal de Alzheimer ou diminua a progressão da doença uma vez instalada.

Algumas pessoas acreditam que a erva ginkgo biloba previne ou diminui o desenvolvimento da demência. Contudo, estudos de alta qualidade falharam em demonstrar que essa erva diminui a probabilidade de desenvolver demência. NÃO use ginkgo se estiver tomando medicamentos anticoagulantes como a varfarina (Coumadin) ou um tipo de antidepressivos chamados de inibidores da monoamina oxidase (IMAO).

Se estiver consideram algum medicamento ou suplemento, você deve consultar seu médico primeiro. Lembre-se que as ervas e os suplementos de venda livre disponíveis NÃO são regulamentados pelo governo.

Grupos de apoio

Para obter mais informações e recursos para pessoas com mal de Alzheimer e seus cuidadores, consulte os grupos de apoio para mal de Alzheimer.

Expectativas (prognóstico)

A velocidade com que o mal de Alzheimer avança varia para cada pessoa. Se o mal de Alzheimer se desenvolve rapidamente, é mais provável que piore rapidamente.

Os pacientes com mal de Alzheimer frequentemente morrem antes do normal, embora um paciente possa viver de 3 a 20 anos depois do diagnóstico.

A fase final da doença pode durar de alguns meses a vários anos. Durante esse tempo, o paciente se torna imóvel e totalmente inválido.

A morte geralmente ocorre por uma infecção ou insuficiência de algum sistema do corpo.

Complicações

Ligando para o médico

Consulte seu médico se alguém próximo apresentar sintomas de demência senil do tipo Alzheimer.

Entre em contato com seu médico se uma pessoa com essa doença tiver uma alteração repentina no estado mental. Uma mudança repentina pode indicar outra doença.

Converse sobre a situação com um médico se você for o cuidador de uma pessoa com essa doença e a doença piorar a ponto de você já não poder cuidar da pessoa em casa.

Prevenção

Embora não exista uma forma de prevenir o mal de Alzheimer, existem algumas práticas que podem ser úteis se incorporadas à sua rotina diária, principalmente se você tiver um histórico da doença. Converse com seu médico sobre qualquer uma dessas abordagens, principalmente aquelas que envolvem tomar um medicamento ou suplemento.

Além disso, os primeiros testes de uma vacina contra o mal de Alzheimer estão em andamento.

Referências

Aisen PS, Schneider LS, Sano M, Diaz-Arrastia R, van Dyck CH, et al. High-dose B vitamin supplementation and cognitive decline in Alzheimer's disease: a randomized controlled trial. JAMA. 2008;300:1774-1783.

DeKosky ST, Williamson JD, Fitzpatrick AL, Kronmal RA, Ives DG, Saxton JA, et al. Ginkgo biloba for prevention of dementia: a randomized controlled trial. JAMA. 2008;300:2253-2262.

Mayeux R. Early Alzheimer's disease. N Engl J Med. 2010 Jun 10;362(4):2194-2201.

Querfurth HW, LaFerla FM. Alzheimer's disease. N Engl J Med. 2010 Jan 28;362(4):329-44.


Reveja Data: 11/5/2014
Avaliado por: Joseph V. Campellone, M.D., Division of Neurology, Cooper University Hospital, Camden, NJ. Review provided by VeriMed Healthcare Network. Also reviewed by David Zieve, MD, MHA, Isla Ogilvie, PhD, and the A.D.A.M. Editorial team.
As informações aqui fornecidas não poderão ser usadas durante nenhuma emergência médica, nem para o diagnóstico ou tratamento de doenças. Um médico licenciado deverá ser consultado para o diagnóstico ou tratamento de todas as doenças. Ligue para 192 em caso de emergências médicas. Os links para outros sites são fornecidos apenas a título de informação e não constituem um endosso a eles. 1997- A.D.A.M., Inc. A reprodução ou distribuição das informações aqui contidas é estritamente proibida.
adam.com